Construção e negociação de espaços do Fashion City Brasil avançam.

Por | sexta-feira, maio 23, 2014
Maior complexo de moda da América Latina tem mais de 
um terço de suas lojas reservadas.

LINK - VÍDEO ATUALIZADO DAS OBRAS DO FASHION CITY BRASIL​

O Fashion City Brasil, maior complexo de moda da América Latina, segue à risca seu cronograma de obras para ser inaugurado no ano de 2015, a 4 km do Aeroporto Internacional de Confins, no Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte. O megaempreendimento vai abrigar cerca de 550 lojas de atacado e já registra a reserva de mais de um terço de seus espaços, de acordo com o presidente Gilson Amaral Brito Jr. “Cerca de 21% de nossa construção está concluída e, neste momento, estão trabalhando em nosso terreno uma média de 90 trabalhadores diretos e 150 indiretos, o que mostra que oFashion City Brasil já está gerando oportunidades de emprego”, contabiliza.

No mês de maio, estão sendo produzidos os painéis de fechamento lateral e estrutura metálica de cobertura, que têm previsão de instalação para o segundo semestre deste ano. O quinto mês de 2014 conta com números expressivos: 80% da terraplenagem está executada, bem como 60% da fundação, 20% da drenagem e 35% da estrutura, o que inclui a produção e montagem dos blocos pré-moldados. Para tornar o local plano, foram aterrados 27 metros de talude, o equivalente a um prédio de oito andares. Para o alicerce, são utilizados cerca de 3.600 m³ de concreto, além de 308 toneladas de aço. A expectativa é de que, em novembro, os espaços sejam entregues aos lojistas para o acabamento final e personalização.



Um dos grandes diferenciais do complexo é o valor de negociação dos aluguéis dos espaços, a R$ 100 por metro quadrado, o que corresponde a cerca de metade do que é praticado no Mega Polo Moda, referência em São Paulo, influenciando positivamente os preços de varejo. O modelo de construção, horizontal, com planta inteligente de funcionamento e amplas áreas abertas, elimina a necessidade de elevadores, escadas rolantes e ar condicionado, o que reflete no gasto operacional e, diretamente, nos negócios do lojista atacadista. A estimativa é de que o custo de operação corresponda a 60% do usual observado em empreendimentos do gênero, o que confirma a proposta moderna e racional do Fashion City Brasil.


Fonte: Benedita Comunicação