Bureaux de tendências Primavera/Verão 2011

Por | domingo, julho 04, 2010 Deixe um comentário
Os desfiles das coleções internacionais aconteceram no Hemisfério Norte entre os meses de Setembro e Outubro de 2009 em Nova Iorque, Londres, Milão e Paris, e considerando o verão passado, deu para notar que as marcas apertaram bem os cintos e não fizeram extravagâncias nem desfiles apoteóticos. Seria a crise?  O resultado foi uma moda "minimal", minimalista, aliás, essa palavra nunca esteve tão “na moda”. Tudo isso pôde ser sentido através da cartela de cores, bem como na escolha dos tecidos, estamparias e design das peças, mas para a nossa felicidade o glamour não foi perdido e graças aos acessórios, a moda continuará movimentando milhões! Bem estar, tecnologia e natureza em convívio no 1º verão pós-crise. Estes são os conceitos-chave apontados nesta coleção Primavera/Verão 2011.

Sentir-se bem será uma necessidade após muito esforço e doação para manter a economia girando, necessidade que será atendida com a busca pelo equilíbrio entre corpo e mente, impactando a moda com demandas por vestuários fluídos, leves e impermeáveis. Destaca-se também a interação entre ser humano e tecnologia. Agora os sentimentos também estão em jogo. A tecnologia assume ares de mediação afetiva, mas mouse e teclado não serão suficientes para criar esta extraordinária experiência. A noção escorrega do mundo virtual e cai nos tecidos metalizados, nos aviamentos que remetem a chips eletrônicos. Por outro lado surge um comprometimento com a sustentabilidade, o que aparece nos processos de fabricação, e somado a isto tudo, busca-se uma relação táctil e estética com o planeta, quase que camaleônica. Orgânico, sintético e reciclado se combinam em produtos que imitam as imperfeições, texturas e aspectos da natureza. A cartela de cores trouxe os tons neutros e nudes com pitadas de cores vibrantes (new wave). Os tons pastéis continuam refrescando os looks.

A democracia das cores e estilos imperou nas passarelas, mas em resumo destaca-se:
Estilos: Minimalista, rock, militar, western, esportivo, retrô (anos 20 aos 90), boudoir, body conscious, étnico, clássico renovado, urbano, futurista, contemporâneo, etc.
Cores: Verde militar, índigo jeans (com ou sem lavagem), lilases, tons terrosos, laranjas, pinks, verdes e amarelos vibrantes contrastaram-se.
Tecidos: Sedas (musseline, shantung, chiffon e cetim), cotton silk, jersey, tricot, tricoline de algodão/poliamida, tule, linho, couro, camurça, denim, sarja, sintéticos e malharia de algodão e viscose.
Estampas: Tribais, florais abstratos e liberty’s, poás (bolinhas), art decò, pincelados, efeitos marmorizados e bichos. Os padrões xadrezes e listrados aparecem em pequenas proporções. As rendas, macramês, franjas, aplicações e crochês remetem ao artesanato. O brilho fica por conta dos tecidos metalizados e dos bordados em pedrarias ou paetês.
Detalhes: Abotoamentos, zíperes, drapeados, plissados, babados, rufos, ombros estruturados e muitos recortes. 
Peças-chave: Tomara-que-caia, shorts e bermudas, mini vestidos “coladinho”, collants, jaquetas, casaquetos, t-shirts, calças skinny ou semi-bag (lisa ou estampada). Destaque para o denim e os terninhos vistos em várias coleções

Principais temas:
Um novo começo mostrando otimismo e progresso. Tecnologia torna-se uma doce forma lúdica. Uma nova e positiva alta tecnologia é reiniciar com referências ao naivity dos anos 50.
Cores
Frescas, cores ácidas que evocam elixirs químicos e experimentais emulsões. O chamativo, ligeiramente pop-cores de vitamina: verde, rosa, turquesa, amarelo e laranja ácidos. Eles são acompanhados por uma segunda série de desbotados e um pouco mais velados, tonalidades cinzentas.
Silhueta
Uma mistura de funcionais, resolutamente moderna ao rigor nos 60's, formas estruturadas. Recursos limpos, acentuados de corte de jalecos ou absolutamente simples, básicos. As referências às ataduras e um 80's esportivo, humorado.
Tecidos
Tafetás, revestidos de lona, algodão, linho, jacquard . Texturas e motivos em miniaturas com superfícies limpas, gráficos precisos. Noutro lugar um clima futurista é ilustrado pelo sintético, compacto anelamento de tecidos com acabamentos tecnológicos.
Prada
Alexander Wang 
Gucci 
 
Balenciaga

Modernas cerimônias semi-pagãs que evocam as deusas e as virgens vestais da Antiguidade, pinturas e simbolismos pré-rafaelita. Um recurso romântico, espiritual e poético.
Cores
Uma suave e serena paleta. São mais intensas acompanhadas de tons de bege e malva. Uma gama dinâmica: pastéis, e adicionado a esta base: rosa, verde, amarelo, laranja, verde vibrante.
Silhueta
É esticada de comprimento para enfatizar estrutura vertical das saias, vestidos, túnicas fluidas, calças vaporosas. A antiga toga inspira uma peça de vestuário como cover-up ou T-shirt e vestidos jump suits (salopetes), mas também detalhes como: aleatórios drapings, efeitos torcidos, nós ou tranças. A tônica é colocada na elegante facilidade das calças pijama, enquanto a fluidês do jersey suaviza e dá humor à alfaiataria .
Tecidos
São leves e fluidos: crepe, crepon, voile, gaze ou tule fino são trabalhados isoladamente ou em camadas. Em um ambiente natural, vemos refinados, rústicos efeitos em musselines ou shantungs de seda .
Blumarine
Burberry
Alberta Ferreti
Etro

Um caldeirão criativo em um mix de influências e civilizações. A partir deste universo, que tenta redescobrir o sex apeel e o glamour das atrizes e a elegância humilde de trajes folclóricos tradicionais.
Cores
Vibrantes.Vermelho e violeta profundos misturam-se com tons mais neutros e evocam as secas paisagens sul-americanas: ocres, argilas, beges e cactos verdes.
Silhuetas
Diversidades da América Latina: Um uniforme militar com humor e atitude urbana, rústicas formas inspiradas em índios e seus ornamentos, como também uma elegante linha gaúcha, além de uma sedutora mulher dos anos 50 e dançarinos de tango.
Tecidos
Uma folclórica inspiração: looks brutos, rústicos em algodões e linhos. Em uma nota mais refinada: macramês, a mais preciosa inspiração, com tecidos decorados por opulentos ornamentos, bordados e apliques.
Dolce Gabbana 
Blumarine - Militar e cores vibrantes
Jean Paul Gaultier
Marc Jacobs - Cores vibrantes e ombros marcados.
 

 
O look militar apareceu em vários desfiles internacionais e é uma forte tendência para este verão. Marcas como: Balmain, Jean Paul Gaultier, Marc Jacobs, Alexander Wang, Celine e Blumarine dentre outras apostaram nesse estilo. Após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) os guarda-roupas masculino e principalmente o feminino ganharam as formas e cores militares: os ombros foram destacados para expressarem o “poder” e os tons de bege e o verde musgo ganharam destaque. Esse estilo de vestir permeia a moda desde décadas passadas, tendo como destaque os trench-coats, peça que ganhou maior projeção com a grife Burberry. Porém o foco para os looks militares eram as coleções invernais mas no último verão do hemisfério norte o "military style" ganhou passarelas e as ruas.
A edição de março da Vogue Americana trouxe o editorial "Military Issue" com as modelos Lily Donaldson, Isabeli Fontana, Liya Kebede e Sasha Pivovarova que foram clicadas pelas lentes de Mario Testino.
O funcionalismo é a palavra-chave! São bolsos de todas as formas e tamanhos, distribuídos em peças como: shorts, saias, calças, vestidos, macacões, jaquetas e trench-coats.
Os abotoamentos duplos, lapelas, martingales (diga “martangale”): palavra francesa que designa uma tirinha reguladora, em geral por botões; dragonas, botões de metal, botões “tartarugas” (aqueles redondinhos de metais), broches e brasões também caracterizam o estilo.
Os tons de de cáqui bem como os tons terrosos e cinzas foram destaques no editorial.
Balmain
Jean Paul Gaultier  


Alternativamente chic e mais selvagem. Uma mulher-criança (Lolitas) em um universo retrô: Twin Peaks. Ela parece com a mãe e ele parece com o avô. Brincalhões, humor girly, padrões vintages, os desbotados dos 60's e 70's...
Cores
Alegres, ainda levemente desbotadas, gamas que evocam as cores dos anos 70, que parecem ter sido suavizadas na máquina de lavar. Abafados tons: pálido azul, bege desbotado, cáqui suave. Uma série concluí as mais intensas matizes da cor amarela ou violeta com forte acento de vermelho ou azul céu.
Silhuetas
Uma mistura de elegância retrô à la "Jackie O." : Calça capri, saia lápis e mini blusas.
Tecidos
Cultua-se o vintage: com algodões e lãs. Denin desbostados estilo 70s, crepes, chifons e cetins para uma "Femme Fatale".
Just Cavalli
Just Cavalli - Índigo Jeans 
Dolce Gabbana - Tule, renda e jeans.
Dolce Gabbana - Jeans e renda. 
Referências, agora nas passarelas nacionais.
 
Referências super femininas, silhueta dos anos 50, saias godê e espartilhos e dos anos 60 os vestidinhos trapézio e as calças cigarette – marcas registradas da década.
Em contraponto ao "ladylike" look, tem-se a profusão de macacões e macaquinhos estampados e lisos, largos e ajustados…uma influência militarista.
Iódice
Têca
Cavalera
Cavalera
Ronaldo Fraga - Transparência das rendas em tons pastéis e com a esportividade da bermuda ciclista em um look que resume tudo.

...E tudo isso no figurino de Sex and the city 2...